compressao-roaming
Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

O projeto BRAMAR visa mapear a estrutura litosférica da zona de transição continente-oceano (OCT), o limite continente-oceano (COB), as contribuições magmáticas durante a evolução da Margem Continental Brasileira, além de contribuir para elucidar a sua evolução geodinâmica e relações com a margem conjugada africana. A estrutura, composição e história geodinâmica do segmento sudeste da margem brasileira é particularmente interessante devido à sua complexa interação com a formação da Elevação do Rio Grande (ERG) e da província magmática de Abrolhos. A ERG é uma região de crosta anomalamente espessa (> 30km), no domínio oceânico correlato à Bacia de Pelotas, separada do Platô de São Paulo pela Dorsal de Florianópolis.

Reconstruções de placas utilizando a espessura crustal atual, calculadas a partir de inversão gravimétrica, mostram que a ERG e a Cadeia de Walvis compunham uma feição única, semelhante à Islândia, há cerca de 85 Ma, sugerindo que a ERG teria sido formada pela interação entre uma pluma mantélica e a cordilheira mesoatlântica. A província magmática de Abrolhos originou-se no Cenozoico Inferior, 50 Ma após o breakup continental no Aptiano, separando as bacias da margem brasileira de suas contrapartes conjugadas na margem africana.

O BRAMAR é uma colaboração entre a Faculdade de Oceanografia da UERJ, a Geologia da UFRJ, a Universidade de Liverpool (GBR) e a DHN (suporte de dados), de carácter multidisciplinar.

Serão oferecidas 2 oportunidades de doutorado e 1 de Mestrado, com bolsas da Capes/CNPq, sob a supervisão dos professores Natasha Stanton e Tadeu Reis, da Faculdade de Oceanografia (UERJ-FAOC), do Dr. Nick Kusznir (Universidade de Liverpool) e Dr. Gianreto Manatschal (Université de Strasbourg).

Os candidatos aprovados desenvolverão suas teses na FAOC e/ou na Universidade de Liverpool, através de estágio doutoral de 1 ano ou Doutorado Pleno (4 anos) na Inglaterra.

Os projetos de doutorado/mestrado são descritos abaixo:

  • A formação da Elevação do Rio Grande e sua correlação com a evolução da Margem Continental Sudeste Brasileira (Pelotas, Santos, Campos, Platô de São Paulo e Dorsal de Florianópolis);
  • Província magmática Cenozóica de Abrolhos: geodinâmica, relação com a estrutura da OCT e implicações para os sistemas petrolíferos das bacias do Espirito-Santo, Mucuri e Cumuruxatiba. 

Os estudantes de doutorado/mestrado analisarão seções profundas de longo offset de sísmicas de reflexão, juntamente com anomalias gravimétricas, magnetométricas e dados geológicos e terão a oportunidade de aprender novas técnicas de análise quantitativa, como Inversão gravimétrica para cálculo da espessura crustal, Análise de Profundidade Residual (RDA), Subsidência, e Reconstrução de placas. Alguns exemplos da aplicação destas técnicas são apresentados na figura 1.

Figura 1- Reconstrução de placas a partir do mapa da espessura crustal (atual) para o período de 120 Ma utilizando GPLATES (alto) e mapa da espessura crustal atual para a margem Continental Brasileira (abaixo), a partir de inversão gravimétrica (Kusznir, 2015)

 Processo de seleção encerrado

A coordenadora do projeto – Profa. Natasha Stanton – informa que o processo de seleção foi encerrado em 30/11/2015.

Para outras informações, favor contatar Profa. Natasha Stanton, tel: 21-2334-0011/ 21-99502-9101 ou escrever para [email protected]

Geofísica Brasil

Comente este artigo



Atualizar

CGG Rodapé
CPGEO