Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Mercado de petróleo aposta em áreas da Margem Equatorial

Foco da 11ª rodada de licitação, a Margem Equatorial já foi objeto de 12 autorizações da ANP para realização de levantamento de dados especulativos. De acordo com a superintendente de Definição de Blocos (SDB) da agência, Eliane Petershon o número de solicitações de informações sobre a bacia dobrou de 2010 para 2011. "É uma região muito atrativa e tem tudo para trazer boas surpresas", assinalou.

Em entrevista para o EnergiaHoje, Eliane revela como está o nível de informação da ANP em relação à Bacia e por que a agência está tão otimista em relação ao potencial da região.

Qual o nível de informação da ANP sobre a Margem Equatorial?

A Margem Equatorial Brasileira é uma área praticamente inexplorada, principalmente em águas profundas, onde pouquíssimos poços foram perfurados. A similaridade com bacias análogas prolíficas em hidrocarbonetos sugere potencial para descobertas de grandes acumulações de óleo leve (acima de 30 º API). É uma região muito atrativa e tem tudo para trazer boas surpresas.

Quais os dados que a ANP tem?

A ANP recebeu um grande acervo de dados de métodos potenciais (gravimetria e magnetometria), dados de sísmica (originais de campo e processados) e dados de poços, coletados pela Petrobras durante o monopólio. Na época, a cobertura sísmica da região era ainda muito esparsa, mas recentes descobertas de óleo leve em bacias análogas na África e América do Sul, aliado ao anúncio da 11ª Rodada de Licitações com foco na Margem Equatorial, aumentaram a expectativa do potencial da região e atraiu o interesse de Empresas de Aquisição de Dados (EAD's).

O conhecimento da região aumentou?

A Margem Equatorial ainda é classificada como "fronteira exploratória" pela baixa quantidade de dados e do conhecimento geológico ainda insuficiente, mas os recentes investimentos na região, após o anúncio da 11ª Rodada resultou no aumento da quantidade e qualidade dos dados.

Quais os dados que a ANP contratou ou vai contratar na região?

A ANP concluiu recentemente um levantamento geoquímico (piston core) na Bacia do Ceará, que indicou áreas com maior potencial exploratório, localizadas na porção leste da região investigada, próximo ao Lineamento Sobral-Pedro II, e a oeste, no prolongamento do Alto Atlântico em direção ao Alto do Ceará. Além deste levantamento, está em processo de contratação de outro levantamento geoquímico do tipo piston core nas bacias da Foz do Amazonas e Pará-Maranhão.

Como está a procura pelos dados da região na ANP?

Após o anúncio dos setores da Margem Equatorial que estariam incluídos na 11ª Rodada houve um aumento significativo da procura pelos dados da região, duplicando o número de solicitações em 2011em relação a 2010.

Quais os trabalhos SPEC que estão sendo realizados ou foram realizados recentemente?

Desde 2008 foram concedidas 12 autorizações para realização de levantamentos especulativos na Margem Equatorial, incluindo aquisição de dados sísmicos, reprocessamento sísmico e aquisição/processamento de dados de métodos potenciais.

Como esse trabalho pode complementar a base de dados da ANP?

A base de dados será complementada continuamente, pois muitas regiões ainda possuem poucos dados geológicos e geofísicos. Quanto maior o conjunto de dados melhor será avaliação geológica e do potencial petrolífero. A aquisição de novos dados sísmicos com novas tecnologias permite um melhor entendimento da evolução geológica das bacias sedimentares, trazendo novos elementos que permitem novas interpretações e a predição de novos modelos exploratórios.

Qual a avaliação geral do potencial petrolífero hoje?

A Margem Equatorial possui potencial petrolífero altamente promissor, corroborado pelos inúmeros indícios de petróleo já identificados em toda região, além dos campos produtores nas bacias do Ceará e Potiguar. A região apresenta analogias com a margem africana e com as descobertas na Guiana e Suriname, reforçando o potencial da região. Todas as bacias da região possuem sistemas petrolíferos ativos comprovados.

Energia Hoje - 17/10/2012 - Ricardo Vigliano

Comente este artigo



Atualizar

CPGEO
CGG Rodapé