Paradigm
Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

A diretoria da ANP aprovou o relançamento das licitações para aquisição de dados sísmicos 2D nas bacias do Parabá e Parecis.

As concorrências foram realizadas pela agência no começo do ano e vencidas pela Global, mas acabaram canceladas. De acordo com a agência, a medida foi tomada para fossem incluídas no termo de referência das novas licitações a qualificação mínima e a experiência que serão exigidas das licitantes para a contratação. A medida pretende dar mais publicidade às condições técnicas das concorrências. Novos editais serão publicados pela agência.

As concorrências vão contratar a aquisição de 100 mil pontos de vibração de sísmica de reflexão 2D na Bacia do Paraná e 142 mil de vibração de sísmica de reflexão 2D na Bacia dos Parecis. Para a primeira licitação, as empresas interessadas terão que comprovar experiência igual ou superior à aquisição de 50 mil pontos de vibração utilizando metodologia de aquisição igual à definida no Termo de Referência, ou seja, com caminhões vibradores como fonte de energia, e na segunda, 71 mil ponto de vibração.

O imbróglio das duas licitações se arrastra desde janeiro. A argentina Wicap – controladora da ANDL – foi a primeira vencedora das duas concorrências. Ainda em janeiro, a ANP desclassificou a Wicap. O parecer técnico ANP 02/2015 apontou, entre outras irregularidades, que a empresa deixou de comprovar a ausência de inadimplência na Justiça do Trabalho.

A Georadar e a Wellfield foram chamadas pela ANP e apresentaram proposta cobrindo os preços da Wicap. As propostas foram aceitas, mas as duas empresas acabaram desclassificadas pela agência. As empresas não conseguiram comprovar experiência na aquisição de dados com caminhões vibroseis, como pedia o edital. Com a decisão, a Global Serviços Geofísicos foi convocada para assumir as propostas.

A proposta da Global foi aceita e a empresa habilitada. Wicap, Wellfield e o consórcio Georadar/UGA Seismic, contudo, entraram com recursos para tentar alterar o resultado da licitação. Nesse ponto, a ANP decidiu anular as duas licitações.

Brasil Energia Óleo e Gás - 10/07/2015

Comente este artigo



Atualizar

CPGEO