logo

Enquete

Dia Nacional do Geofísico

Qual data você escolheria​ para ser proclamada​ como o Dia Nacional do Geofísico?

15 de Outubro (Fundação do Observatório Nacional em 1827)
3 de Abril (Proclamação do Ano Internacional da Geofísica pela ONU em 1957)
23 de Junho (Declaração da Antártida como território de livre pesquisa em 1961)
26 de Maio (Fundação do primeiro Departamento de Geofísica no Brasil em 1972)
20 de Novembro (Abertura do 1º Congresso da Sociedade Brasileira de Geofísica em 1989)
» Go to poll »
1 Votes left

Feed RSS

Twitter

Petrobras tem menor produção em 5 anos

A produção de petróleo da Bacia de Campos, responsável por 80% da produção da Petrobras no Brasil, atingiu o menor patamar em quase cinco anos em setembro (último dado disponível). A estatal produziu 1,471 milhão de barris de óleo e LGN (liquefeito de gás natural - barris equivalentes de petróleo) por dia na média do mês na bacia. O resultado foi melhor apenas do que o 1,435 milhão registrados em novembro de 2007.

Em relação à produção de janeiro deste ano (1,753 milhão barris/dia), a queda é de 281 mil barris/dia, ou 16%. A diferença é responsável por uma perda acumulada de mais de R$ 7 bilhões para o caixa da empresa, pelos cálculos do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE). Há três semanas, o diretor de Exploração e Produção da Petrobras, José Miranda Formigli, disse que o resultado do mês havia sido impactado por paradas nas plataformas P-53 e P-57, na Bacia de Campos, além de paradas programadas para manutenção.
A P-53, na unidade operacional Rio de Janeiro, teve problemas pontuais associados à planta de processo que já foram resolvidos. Já na P-57, no campo de Jubarte, o motivo da parada estava ligado a equipamentos de poço. A resolução estava em andamento à época do comentário. A queda vem se acentuando desde o início do ano. A avaliação é que a empresa paga o preço, com paradas mais longas que o previsto, por não ter feito manutenção adequada no passado.
Diante deste cenário, a Petrobras decidiu, em meados do ano, investir US$ 5,6 bilhões em quatro anos para recuperar a produção da Bacia de Campos, dentro do programa de recuperação de eficiência operacional Proef. O maior declínio está em campos antigos. Ontem, a estatal lançou também um programa de recuperação específico para a unidade do Rio de Janeiro, que inclui os campos novos da Bacia de Campos, como Roncador, Marlim Sul, Albacora Leste e Marlim Leste. A unidade produz mais de 900 mil barris de petróleo por dia, ou 47% da produção da Petrobras no País. A eficiência ainda está em bom nível: 91%.
Com o programa, a Petrobras quer evitar que se estenda às novas áreas o declínio registrado nas unidades mais antigas da Bacia de Campos, onde a eficiência da produção caiu a menos de 70% neste ano. "Em dois anos, no máximo, poderíamos ter situação igual à da Bacia de Campos e não queremos isso", disse Formigli na ocasião. As informações são do jornal - 20

O Estado de S. Paulo.- 20/11/2012

 


Últimas notícias

As mais lidas