compressao-roaming
Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

A Parnaíba Gás Natural (PGN) optou por devolver à União a área onde era conduzido o plano de avaliação da descoberta (PAD) do poço 1-OGX-102-MA, batizada de Esperantinópolis, no bloco PN-T-67, na Bacia do Parnaíba.

A companhia avaliava a área desde junho de 2014, mas o plano venceu no final do mês passado, e a companhia optou por não declarar comercialidade do prospecto, pois os estudos geofísicos e geológicos não demonstraram potencial comercial.

Antes da confirmação da devolução, a ANP chegou a isentar a companhia de perfurar o poço firme previsto no plano, mas, mesmo assim, a PGN preferiu abrir mão da área. Esta foi a primeira vez que a companhia encerrou um PAD sem declarar comercialidade.

A companhia já declarou comercialidade de duas outras descobertas dentro do PN-T-67, que viraram os campos de Gavião Preto e Gavião Branco Oeste, e ainda avalia outros dois prospectos no bloco, conhecidos como Basílios e Angical.

A PGN opera o PN-T-67, com 100% da concessão.

Brasil Energia Óleo e Gás - 06/07/2016

Comente este artigo



Atualizar

CGG Rodapé
CPGEO