Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

A Schlumberger começou a executar um novo contrato fornecimento de equipamentos e serviços de perfilagem para a Petrobras. O contrato prevê a prestação de serviços em poço aberto e revestido ou completado, além de canhoneio a cabo, a fim de ampliar o entendimento dos reservatórios em projetos onshore e, principalmente, offshore, incluindo pré-sal.

Iniciado no final do ano passado, o contrato tem duração de quatro anos. O valor total é de R$ 1,7 bilhão (parcela atendida pela Schlumberger Serviços de Petróleo), além de uma parte em dólares de US$ 443 milhões (Southern Schlumberger).

A perspectiva da empresa para 2016 no Brasil é de que este será um ano bastante atrelado às atividades da Petrobras, devido aos atrasos das atividades exploratórias nos blocos da 11ª rodada e ao baixo valor do barril, que deve levar à postergação de projetos de petroleiras internacionais.

Entre as oportunidades que estão no radar da companhia no país estão licitações de serviços de construção de poços de campanhas exploratórias que estão previstas para os próximos anos, como projetos da Margem Equatorial e Libra, no pré-sal da Bacia de Santos.

“O ambiente de negócios em 2016 está bastante competitivo pela necessidade dos operadores de baixarem custos operacionais”, afirma o diretor de Marketing da Schlumberger, Alejandro Duran. Ele acredita que produtos e serviços para otimizar a construção de poços, como modelos especiais de brocas e serviços submarinos serão mais demandados.

Segundo o executivo, as atividades no centro de pesquisas da empresa, no Fundão, seguem se desenvolvendo normalmente. Entre os projetos estão estudos focados no pré-sal, como a avaliação de formação e fluxos projetados e sistemas de cimento resistentes ao CO2, e no pós-sal, buscando melhorias da trajetória do poço e novas metodologias para avaliar o efeito de fraturas na produção.

Brasil Energia Petróleo - 28/01/2016

Comente este artigo



Atualizar

CPGEO
CGG Rodapé