Otimização da Produção do Reservatório
Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Superfície potenciométrica e possíveis fontes de contaminação do Aquífero Parecis, no município de Vilhena (RO).  Este é o título da monografia publicada pela Revista Monografias Ambientais - REMOA (v. 15, n.1, jan-abr. 2016, p.74-84) do Centro de Ciências Naturais e Exatas - UFSM, Santa Maria.

Os autores são Calina Grazielli Dias Barros (UFPA), Ana Lucia Denardin da Rosa (UFRO), José Luiz Silvério da Silva(UFSM), Gislayne Alves Oliveira (UFSM), Luiza Girard Teixeira (UFPA) e Raphael Bruno da Silva Sampaio (UFPA).

Resumo

O controle e a preservação da qualidade das águas subterrâneas são as principais tarefas a serem realizadas quando se trata d e planejamento ambiental desse recurso. Desta forma, o presente estudo tem como objetivo determinar as linhas de fluxo das água s subterrâneas no município de Vilhena-RO, Região Amazônica. Foram levantados dados de poços e mapeadas as fontes potenciais de contaminação incluindo-se os postos de combustíveis, cemitério municipal, poços de abastecimento contaminados e lixões desativados.

Por meio do mapa de superfície potenciométrica foi possível constatar alguns pontos vulneráveis, como o poço número 27, de responsabilidade do Serviço Autônomo de Águas e Esgoto, o qual está localizado em uma área de convergência de fluxos, podendo assim receber cargas contaminantes oriundas do cemitério municipal e de dois lixões desativados. Sendo assim, o estudo da superfície potenciométrica do Aquífero Parecis é uma valiosa ferramenta de espacialização em Sistema de Informações Geográficas que permite, através da observação do mapa gerado, localizar os melhores pontos para instalação de novos poços de abastecimento, postos de combustíveis, entre outros, fornecendo subsídios para o processo de gestão, ocupação dos solos e controle da explotação das águas subterrâneas em escala municipal.

Acesse o trabalho completo neste link

UFSM

Comente este artigo



Atualizar

CGG Rodapé
CPGEO