Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Contato entre as rochas do Corpo Jurema (solo marrom escuro) e os xistos aluminosos da sua encaixante (solo marrom claro)

 

O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) divulgou o Informe Técnico (número 6) intitulado “O Complexo Máfico-Ultramáfico Jurema: descoberta de corpo mineralizado em Fe-Ti ± V ± Co em Betânia, Pernambuco, Zona Transversal, Província Borborema”.

O informe relata a confirmação de uma ocorrência inédita de corpo máfico-ultramáfico mineralizado em Fe-Ti ± V ± Co, nomeado como Complexo Máfico-Ultramáfico Jurema (CMUJ), dentre outras anomalias potenciais selecionadas no âmbito do Projeto Novas Fronteiras: Área Alto Moxotó, executado pela Superintendência Regional de Recife.

O corpo está localizado na Folha Custódia (SC.24-X-A-III), município de Betânia-PE, nas proximidades da localidade de Jurema, com dimensão mínima aflorante de 2,5 x 0,6 Km. O CMUJ ocorre encaixado nas rochas supracrustais tonianas (granada-muscovita xistos) do Complexo São Caetano.

A ocorrência de ferro e titânio maciço do CMUJ está hospedada em metaperidotitos, metagabros (com ou sem granada), metapiroxenitos e metahornblenditos, litologias que se assemelham notadamente às rochas máfico-ultramáficas pertencentes a Suíte Serrote das Pedras Pretas nas ocorrências de Floresta.

Imagens: Assembleia litológica que compõem o CMUJ. A- Granada-metagabro com simplectito de granada + quartzo; B- metapiroxenito com presença de plagioclásio intercumulático; C- Metaperidotito antofilítico que ocorre no centro do corpo; D- Fragmento subangular de ilmenomagnetitito com textura maciça.

 

A descoberta de corpo máfico-ultramáfico com presença de mineralizações de Fe-Ti±V±Co, distando cerca de 70 km a leste dos depósitos do Distrito Titanífero de Floresta (por ex. Depósito Riacho da Posse, Mina de Serrote das Pedras Pretas e cerca de outras 20 ocorrências e prospectos), abre uma nova fronteira (greenfield) para prospecção de depósitos de Fe-Ti, pois apresenta características petrográficas semelhantes a esses depósitos.

O reconhecimento do Corpo Jurema indica um trend de continuidade de corpos máfico-ultramáficos do tipo Serrote das Pedras Pretas ao longo de um cinturão linear quilométrico. Segundo os dados magnetométricos, o corpo apresenta considerável extensão não aflorante, ampliando o potencial para descoberta de zonas mineralizadas.

CPRM - 27/06/2016

Comente este artigo



Atualizar

CGG Rodapé
CPGEO